Como tomar decisões mais inteligentes

Um bom profissional sabe que tomar decisões mais inteligentes não é tarefa fácil. E se engana quem pensa que essa dificuldade acontece somente quando se trata de coisas mais importantes.

É claro que algumas decisões são realmente mais difíceis de serem tomadas e, por isso, merecem maior atenção. Ainda assim, a indecisão também pode nos atingir em situações que vão desde a escolha do sabor de um suco até a mudanças na carreira.

O fato é que é preciso agir. Até porque, mesmo não fazendo absolutamente nada, você ainda estará tomando uma decisão — o que pode te colocar em maus lençóis, gerando consequências negativas.

Nesse sentido, uma boa decisão deve ser tomada de maneira consciente e com frieza, a partir de análise e identificação de prós e contras. E é isso que você aprenderá a fazer neste artigo. Então continue lendo e confira!

1. Identifique o que precisa decidir

Escolhas são inevitáveis. Desde a roupa que vai vestir e o prato que vai comer até coisas relacionadas ao trabalho — que logicamente, exigirão mais atenção da sua parte —, são inúmeras as decisões que você tem de tomar diariamente.

Assim, o primeiro passo para tomar uma decisão concisa é identificar e anotar tudo o que realmente é mais importante para você. Decida quais decisões você precisa tomar e, a partir disso, identifique qual é o resultado que precisa obter com essa decisão.

Além disso, é importante pensar na sua dúvida de maneira clara e concisa. O objetivo é deixar sua mente focada naquilo que realmente importa. Afinal, coisas menores, que podem ser resolvidas de maneira mais simples, não podem ocupar tanto espaço na sua mente.

2. Faça uma pesquisa

Será que a sua dúvida não é motivada por falta de conhecimento a respeito do tema? Para evitar isso, a partir das informações reunidas, você deve observar todas consequências que a sua decisão pode trazer.

O objetivo desse tipo de procedimento é te ajudar a harmonizar suas decisões com as suas motivações. Até porque, mesmo que o problema exija uma tomada rápida de decisão, é essencial não agir de maneira repentina.

Do contrário, você toma uma decisão emocional, movida pelo amor ou até mesmo pela raiva — o que é péssimo, principalmente quando se trata de questões profissionais.

O ideal é sempre tomar decisões racionais, fruto de ponderações. E, para ponderar bem, é preciso ter tempo. Sendo assim, preocupe-se sempre em ter tempo para pensar e tomar as decisões mais importantes.

Ainda assim, caso não disponha desse tempo para pensar — em alguns momentos, a escolha precisa mesmo ser feita de imediato —, procure considerar as possibilidades e se concentrar nos benefícios e prejuízos de cada escolha possível, antes de lhe dizer sim ou não.

3. Pense no futuro

Uma boa decisão sempre considera diferentes fatores. E esse é outro dos motivos para você pensar bem antes de escolher um caminho. Então, evite buscar somente benefícios imediatos, concentrando-se apenas no presente.

Pelo contrário: considere o que sua decisão poderá agregar posteriormente. Ter uma visão a longo prazo é fundamental para conseguir melhores resultados profissionais na sequência de seu trabalho.

Aliás, nada disso deve ser novidade para você: é evidente que as decisões que tomamos no presente impactam de alguma forma nosso futuro, seja ele daqui a um mês ou daqui a três anos.

Logo, lembre-se de imaginar os resultados esperados para identificar os possíveis pontos fracos do seu projeto.

4. Reconheça os pontos cegos

É importante saber o que pode estar faltando para que você tome sua decisão. E, quanto a isso, estamos nos referindo a coisas pequenas não esclarecidas.

Até porque, muitas vezes a falta de informação sobre detalhes é a grande causadora da dúvida. Você não tem 100% de segurança sobre algo, e isso acaba te deixando com a chamada pulga atrás da orelha.

Mas é possível combatê-la: procure se cercar do máximo possível de dados a respeito do assunto que exige sua tomada de decisão. Sem isso é bem provável que você se sinta sem segurança para decidir.

Então, procure se informar. Isso te ajuda a tirar as ideias do papel e fazer sua escolha com maior clareza.

5. Estabeleça critérios para tomar decisões mais inteligentes

Para tomar uma decisão que permita que as pessoas ao seu redor compreendam a sua escolha, é necessário se perguntar se essa escolha está de acordo com o que realmente importa para você.

Em outras palavras, é preciso considerar se ela está alinhada com seus valores pessoais, construídos ao longo dos anos, e com a maneira como as pessoas passaram a enxergar você profissionalmente.

Então, procure ter a certeza de que a decisão tomada é acessível e vale a pena ser implementada na prática. Ao estabelecer critérios, você não só consegue escolher bem, mas também compreende melhor quais são os fatores que te motivaram a chegar a tal decisão.

E isso ajuda a tomar outras atitudes futuras tão importantes quanto esta de maneira mais segura — o que é fundamental para sua carreira.

6. Considere as opções e perspectivas diferentes

De fato, considerar todas as possibilidades, muitas vezes, não é tarefa fácil. A dúvida pode surgir da semelhança entre as opções apresentadas, tanto quando elas são boas quanto são ruins.

Por isso, é importante que você seja capaz de escolher uma entre boas opções, mas também dizer não caso todas as possibilidades não sejam interessantes para você ou para o negócio.

E, nesse caso, não tente resolver tudo sozinho; procure o aconselhamento de pessoas que você julga confiáveis. Isso pode te ajudar a encontrar uma nova perspectiva sobre o tema a partir de pontos de vista diferentes.

Consulte amigos, outros profissionais ou pessoas que tenham um mínimo de vivência no assunto. Mas lembre-se: a decisão final é sempre sua, assim como serão as responsabilidades sobre quaisquer consequências.

7. Tome a sua decisão e faça um follow-up

Por fim, após ter analisado os pontos positivos e negativos que fazem parte da sua escolha e observado perspectivas diferentes, é necessário optar por um caminho.

É normal sentir um frio na barriga diante de decisões importantes, mas, se você chegou de maneira consciente à escolha que julga mais correta, com frieza e sinceridade consigo mesmo, agora não é hora de refugar. Vá em frente!

E não ignore reconsiderar sua decisão caso, após algum tempo, ela parecer não render os frutos desejados — na verdade, reflita sobre isso sempre que possível. Decisões bem tomadas também podem ser revistas, com o intuito de melhorar as coisas.

Enfim, esteja sempre reavaliando tudo, mas o faça com critério. Isso também faz parte de tomar decisões mais inteligentes. Então, procedendo assim, você certamente obterá resultados excelentes a longo prazo!

E aí, gostou do post? Quer saber ainda mais? Então aproveite para assinar agora mesmo a nossa newsletter e receba novos materiais diretamente em seu e-mail!

 

Coach Luiz Porto

Coach Luiz Porto Autor

Graduado em Administração de Empresas, Pós Graduado em Gestão de Pessoas e Mestre em Comportamento Humano. Formado como Coach na SLAC (Sociedade Latino Americana de Coaching). Atua em Coaching e Gestão de Pessoas há mais de 10 anos e tem passagens por diversas empresas nacionais e multinacionais.

Deixe uma resposta